Desnutrição Hospitalar, vamos mudar este cenário!

April 1, 2019

Você sabia que 1 em cada 3 pacientes internados sofre com a desnutrição?
A desnutrição é definida como um desequilíbrio metabólico causado pelo aumento da necessidade calórico-proteica, inadequado consumo de nutrientes e alterações da composição
corporal e das funções fisiológicas. A taxa de desnutrição varia entre 20 e 50% em adultos hospitalizados e durante a hospitalização, esta condição piora progressivamente principalmente em idosos e pacientes críticos.


No âmbito hospitalar, a desnutrição, desde sua identificação nas décadas de 70, preocupa os profissionais da saúde, visto que prejudica a função imune, perda de massa magra, interferindo na susceptibilidade às infecções, cicatrização, resposta inflamatória, aumenta o risco de mortalidade em doenças agudas e crônicas. Também havendo o risco de complicações pós-operatórias e tempo maior de internação.

 

A desnutrição causa um impacto negativo na saúde do indivíduo de forma geral. O corpo desnutrido fala e senti. Obviamente, a falta de nutrientes acarreta uma série de problemas. Quanto mais grave o caso, mais graves serão as repercussões no organismo, podendo ser irreversíveis.

Além disso, a desnutrição também interfere:
✔ Na pele, que fica com aspecto seco, enrugado e descamando;
✔ No cabelo, que fica quebradiço e pode perder a cor;
✔ Na unha, que fica quebradiça, fraca e escamando;
✔ No comportamento, a pessoa fica apática, podendo desenvolver depressão;
✔ No sangue, as alterações podem causar, por exemplo, anemia;
✔ No sistema nervoso, prejudicando os estímulos nervosos e a integridade dos neurônios;
✔ Nos ossos, interferindo na formação;
✔ No sistema imunológico, diminuindo a defesa do corpo contra infecções;
✔ Nos demais sistemas, provocando alterações nos órgãos vitais ao corpo.

 

As crianças e idosos são mais vulneráveis, e podem sofrer mais com os efeitos da desnutrição. No caso das crianças, é importante ressaltar que esse é um período de desenvolvimento físico e mental, ou seja, a desnutrição nessa fase de vida pode comprometer, e muito, o futuro adulto. Ao observar sintomas como cansaço, falta de energia, irritabilidade, falta de concentração, diminuição da temperatura corporal, demora na cicatrização de feridas, dificuldade para se recuperar de infecções e diarreia permanente, fique atento! A presença de um ou mais sintomas podem estar correlacionados à desnutrição.

 

O diagnóstico de desnutrição envolve a avaliação clínica, nutricional e bioquímica do paciente. Sendo assim, para obter tal diagnóstico é necessário o parecer de uma equipe multidisciplinar. Quanto mais precoce a detecção de pacientes mal nutridos, ou em risco de desnutrição, for realizada, maior será o benefício da Terapia Nutricional. Portanto, o rastreio nutricional pode contribuir com a melhora na evolução clínica dos pacientes, reduzindo substancialmente, a estadia nos hospitais e consequentemente, os custos.

 

Vamos mudar este cenário!

 

Logo, sendo grande a interferência da alimentação, seja ela oral, enteral ou mesmo parenteral, no processo saúde-doença, o tratamento realizado pelo Nutricionista é essencial para evolução positiva do paciente e este deve ser rigoroso em suas etapas, monitorado e de forma a não prejudicar o paciente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dra. Ivy Albaladejo
Especialista em Nutrição Clínica e Terapêutica Nutricional
CRN -3 - 6800

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Berçário Virtual

October 20, 2020

October 19, 2020

October 16, 2020

October 14, 2020

October 13, 2020

Please reload

Posts em Destaque

CAMPANHA OUTUBRO ROSA

October 17, 2017

1/5
Please reload

Climed Saude

(11) 4414-5000

Rua da Bahia 342 - Recreio Estoril - Atibaia/SP