Descubra o que faz a Terapia Ocupacional. Saiba mais em nosso artigo.

October 13, 2019

 

É comum pessoas me perguntarem o que faz um terapeuta ocupacional. Normalmente elas perguntam: você brinca com seus pacientes? Ocupa idosos fazendo tricô? Ah, é como se fosse uma fisioterapia ocupacional?

Neste dia que celebramos o “dia da Terapia Ocupacional” gostaria de destacar a importância e relevância deste profissional junto a equipe multidisciplinar e aos pacientes.

De acordo com o CREFITO 3 (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional) a definição de Terapia Ocupacional é:

Terapia Ocupacional é um campo de conhecimento e de intervenção em saúde, educação e na esfera social, reunindo tecnologias orientadas para a emancipação e autonomia de pessoas que, por razões ligadas à problemática específica, físicas, sensoriais, mentais, psicológicas e/ou sociais apresentam temporariamente ou definitivamente dificuldade da inserção e participação na vida social.

(CREFITO 3)

 

Mas o que isso quer dizer? Quer dizer que o terapeuta ocupacional é um profissional que trabalha com pessoas que devido alguma deficiência física, mental, sensorial, visual ou cognitiva apresentam temporariamente ou definitivamente dificuldades para realizar suas atividades do cotidiano, perdendo sua autonomia e independência.

Este profissional tem como principal objetivo habilitar ou reabilitar o indivíduo para desempenhar, de forma satisfatória, suas atividades de vida diária: autocuidado, trabalho, estudo e lazer.

            Os principais recursos terapêuticos usados para atingir esses objetivos são as atividades direcionadas. Podemos utilizar exercícios, jogos, música, pintura, artesanato, dentre outras; essas atividades também ajudam na criação, transformação e expressão das pessoas.

            Este profissional pode atuar em hospitais, ambulatórios, centros de reabilitação, instituições geriátricas (casas de repouso e asilos), centro de convivências, instituições penais, escolas, serviços de saúde mental (CAPS, oficinas terapêuticas, internações psiquiátricas) e contexto sociais.   

Atualmente, as principais áreas de atuação do terapeuta ocupacional no hospital/ambulatório são:

 

Ortopedia:

  • Terapia de Mão:  reabilitação da função de preensão, coordenação motora fina e orientação quanto a órteses de membro superior.

 

Neurologia Infantil:

  • Estimulação no desenvolvimento cognitivo, motor e social.

  • Estimulação Visual: estimulação da visão residual em crianças com baixa visão, minimizando o impacto que a criança sofre no desenvolvimento.

  • Intervenção Precoce (bebês e crianças): estimulação para as aquisições motoras, cognitivas e percepto-sensoriais, assim como tipos de brinquedos e brincadeiras adequados para cada faixa etária e de acordo com as habilidades já adquiridas pela criança, de forma personalizada. 

  • Programa de Terapia Sensório-Cognitiva-Motora: movimentação e coordenação motora fina dos membros superiores (como a recuperação da capacidade de escrever); percepção e discriminação das sensações táteis e dos demais aspectos cognitivos que interferem no planejamento e na execução das atividades cotidianas.

  • Treino de habilidades para promover maior autonomia nas atividades de vida diária (alimentação, vestuário e higiene).

 

Neurologia adulto

  • Adaptação do ambiente e/ou acessórios utilizados no dia a dia do paciente, para torná-lo mais autônomo e seguro em sua rotina ocupacional.

 

Gerontologia

  • Atuar na reabilitação cognitiva, motora e na reintegração social de idosos.

 

Psiquiatria

  • Ajudar no retorno das atividades cotidianas, na reinserção social, autoestima, autonomia e independência.

 

E para terminar gostaria de parabenizar meus colegas de profissão pelo nosso dia e incentivá-los a não desistirem desta área pouco conhecida pelas pessoas, mas tão relevante.

 

Ser terapeuta ocupacional é acreditar que todas as pessoas são capazes, independentemente de sua condição. É olhar o ser humano como alguém que se constrói e se transforma pela sua ação significativa, consciente, em um contexto social, histórico e cultural. Ser terapeuta ocupacional é estudar profundamente a ação humana nos diversos momentos da vida e desenvolver estratégias para que cada pessoa possa tomar posse do seu fazer, a partir de seus desejos, expectativas e necessidades.

(Celina Bartallotti – terapeuta ocupacional e doutora em Psicologia da Educação).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leda Maria Horta Lupori

Terapeuta Ocupacional formada pela PUC – CAMPINAS

Pós-graduada em Reabilitação Aplicada a Neurologia Infantil - UNICAMP

Integração Sensorial

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Berçário Virtual

October 16, 2020

October 14, 2020

October 13, 2020

Please reload

Posts em Destaque

CAMPANHA OUTUBRO ROSA

October 17, 2017

1/5
Please reload

Climed Saude

(11) 4414-5000

Rua da Bahia 342 - Recreio Estoril - Atibaia/SP